Nonoai: Município tem alto índice de suicídios

Assunto complexo, o suicídio, que espelha fatores biológicos, genéticos, psicológicos, sociais e também culturais, tem sido desvendado, nos últimos quatro anos, pela campanha Setembro Amarelo. Neste ano, como de costume, as atividades de prevenção e sensibilização incluem caminhadas, veiculação de materiais da campanha por figuras públicas que abraçam a causa e a iluminação de prédios públicos, praças e monumentos com luzes e itens amarelos.

Para marcar o mês da campanha de prevenção aos casos de suicídio em Nonoai, a Comissão Interna de Prevenção a Acidentes – CIPA do Hospital Comunitário de Nonoai promoveu, na tarde desta quinta-feira, (Dia 21/09), uma palestra com a acadêmica de psicologia Samantha Baldin. A atividade realizada na Câmara de Vereadores foi aberta para os alunos da Escola Estadual Maria Dulcina e servidores do Hospital Comunitário de Nonoai.

Conforme dados apresentados pela Acadêmica Samantha, o município de Nonoai tem um alto índice de casos de suicídio. “Nos anos de 2011 e 2013, o município atingiu a casa dos 24,96% enquanto que na média brasileira este índice foi de 3,99%”, revelou com dados do DATA SUS.

No Brasil, a faixa etária correspondente à terceira idade é a que reúne as estatísticas mais preocupantes. No caso de mortes relacionadas à depressão, os maiores índices estão concentrados em pessoas com mais de 60 anos, com o ápice depois dos 80 anos.

A troca de informações sobre suicídio pode ser muito útil para diminuir esses índices. A OMS estima que 90% dos casos podem ser evitados quando há oferta de ajuda. Em geral, seis meses antes de consumar o ato, pessoas com pensamentos suicidas procuram ajuda com familiares, amigos ou profissionais da área da saúde pública.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados *

*

error: Conteúdo Protegido. Entre em Contato.