Avicultura alerta para escassez de milho e aumento nos custos de produção

A Associação Gaúcha de Avicultura (Asgav) promoveu, nesta terça-feira (17), em Porto Alegre, uma reunião de avaliação conjuntural do segmento econômico no Rio Grande do Sul. O café da manhã contou com a presença do deputado federal Jerônimo Goergen (Progressistas-RS), que recebeu com preocupação as informações sobre o cenário da avicultura. “Uma forte preocupação é com relação à escassez de milho no mercado interno, o que tem provocado o aumento nos custos de produção”, destacou. O parlamentar ressaltou que o governo federal precisará intervir fortemente através de mecanismos de comercialização e escoamento da safra, visando a redução dos custos de aquisição do grão. “Já estou solicitando agenda com o ministro da Agricultura, Blairo Maggi, para expor todo o quadro antecipadamente e tentarmos evitar o pior”, destacou Jerônimo.

Na avaliação do diretor-executivo da Seara Alimentos, Arene Trevisan, o elevado custo envolvido na produção de proteínas e grãos no Sul do Brasil vai exigir um trabalho de discussão da carga tributária. O dirigente apontou a necessidade de se buscar uma interlocução junto aos governos do Estado e Federal, “no sentido de reduzir o impacto tributário de ICMS e do PIS/Cofins”, salientou. Estas ações de curto prazo garantiriam a manutenção e o desenvolvimento de cadeias produtivas importantes para a economia, representadas pela avicultura e a suinocultura. Medidas de médio e longo prazo, como o escoamento de grãos por meio de hidrovias e ferrovias também foram discutidas no encontro.

Já o presidente da Asgav, Nestor Freiberger, lamentou os impactos negativos sobre a imagem do setor resultante da Operação Carne Fraca. Segundo o dirigente, é preocupante a suspensão das exportações para a União Europeia, penalidade imposta a algumas plantas da BRF, uma vez que se trata de volumes expressivos. Freiberger destaca que o mercado europeu é uma credencial de entrada e prospecção para novos mercados. A exportação seria uma oportunidade para amenizar os problemas internos no que se refere ao aumento dos custos de produção. “Não somos produtores e fornecedores de produtos nocivos à saúde humana. Muito pelo contrário. A carne de frango, ovos e seus derivados são ricos em vitaminas e nutrientes que suprem as necessidades alimentares de milhões de pessoas no Brasil e no mundo”, sustentou o presidente da Asgav.

Fonte: Apolos Neto (Assessor de Imprensa deputado Jerônimo Goergen – Progressistas/RS)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados *

*

error: Conteúdo Protegido. Entre em Contato.