Famurs: Hospitais de Pequeno Porte temem o fechamento de leitos

A Famurs reuniu, nesta quinta-feira (7/6), lideranças políticas e institucionais para tratar sobre as dificuldades enfrentadas por municípios gaúchos em custear e prestar atendimento à população nos 82 Hospitais de Pequeno Porte (HPPs), com menos de 30 leitos. Prefeitos, dirigentes de entidades representativas da área da Saúde e deputados estaduais subscrevem o requerimento que será entregue ao governador José Ivo Sartori, na próxima semana, postulando a anulação da Portaria n.º 064/2018, que trata sobre os HPPs que tiveram o perfil assistencial redesignado como Pronto Atendimento de Urgências (Padu).

“Vamos mostrar ao governo a situação que vivem os municípios que necessitam destas estruturas. A política adotada não corresponde à realidade enfrentada na área da saúde, que é muito humana e não pode esperar”, ressaltou o presidente da Famurs, Salmo Dias de Oliveira. O documento solicita, ainda, o redirecionamento de R$ 25 mil para os HPPs, previstos na portaria, para manutenção do funcionamento e a readequação destas estruturas. “O objetivo é buscar a qualificação no atendimento de baixa e média complexibilidade, possibilitando a reformulação da descentralização de serviços a serem pactuados de forma regional, atendendo aos interesses da população”, explicou.

Lideranças argumentam que, se os 82 HPPs existentes hoje no Rio Grande do Sul virem a se transformar em Padu, poderá ocorrer o fechamento de 1.618 leitos disponibilizados pelo Sistema Único de Saúde. Isso acontece porque os estabelecimentos não poderão mais internar pacientes, caso não sejam classificados como hospitais.

Conforme o assessor técnico da área de Saúde da Famurs, Paulo Azeredo Filho, levantamento feito pela entidade revela que em 218 municípios pesquisados entre junho de 2016 e julho de 2017, o número de pacientes transportados ultrapassou a soma de R$ 1,5 milhão. Os números também mostram que, em 2017, 295 mil usuários de 235 municípios aguardavam exames e cirurgias especializadas. Nos últimos três anos, segundo dados do Ministério da Saúde, foram fechados 907 leitos do Sistema Único de Saúde (SUS).

Para o presidente da Comissão instituída pela Famurs para tratar sobre os HPPs, prefeito de Braga, Carlos Alberto Vigne, é fundamental o reconhecimento do problema por parte do governo do Estado. “Buscamos uma solução para esta questão que preocupa toda a população do Rio Grande do Sul, que deve ser a maior beneficiada caso o pleito da Famurs seja atendido”, disse.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados *

*

error: Conteúdo Protegido. Entre em Contato.