Esta votação foi encerrada (since 5 meses).

Car Clube Nonoai organiza manifestação contra proposta de alteração na Lei de Isenção de IPVA

Integrantes do Car Clube Nonoai estão organizando uma manifestação contra as propostas que integram a Reforma Tributária do Governo do Estado do Rio Grande do Sul que prevê o aumento do Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA) no Rio Grande do Sul.

Um dos líderes do Car Clube Nonoai, Luciano Tedesco, explica que na tarde deste domingo (dia 30/08) proprietários de veículos antigos estarão promovendo carreatas com objetivo de chamar a atenção do Governo em relação à proposta. Ainda segundo Tedesco, em Nonoai a mobilização ocorrerá às 17 horas, tendo como ponto de concentração e saída, a Praça São Cristóvão. Em seguida os veículos estarão circulando pela área central da cidade. “Os participantes deverão usar máscara e permanecer em seus veículos para evitar aglomeração, respeitando o afastamento social”, indicou Tedesco.

Uma das propostas que integram a Reforma Tributária do Estado prevê o aumento do Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA) no Rio Grande do Sul. Atualmente, o percentual é de 3% e passará para alíquota de 3,5% para automóveis e camionetas e o aumento do teto de isenção para veículos fabricados há mais de 40 anos (e não 20 anos).

Segundo o governo, a receita bruta do IPVA, levando em consideração o ano de 2019, foi de R$ 3 bilhões. Do total da frota, de 2019, estimada em 6.917.855 veículos, 54% são de veículos tributáveis e outros 46% de isentos.  Com a mudança, 75% passarão a ser tributáveis e 25%, isentos. Com a mudança, o impacto total de aumento de R$ 744 milhões na arrecadação. A nova alíquota passará a valer já a partir do ano que vem.

Mesmo com a elevação, Eduardo Leite ressaltou que a alíquota ainda será inferior a outros estados, como Minas Gerais, Rio de Janeiro e São Paulo, que tem alíquota de 4%, e Goiás, com 3,75%. Eduardo Leite ressaltou que chegou a ser cogitada a possibilidade de haver um escalonamento em relação ao IPVA. Porém, a conclusão era de que não seria viável.

print

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.