Caso MC Kevin: Polícia Civil conclui investigação e vai pedir arquivamento; ‘caso trágico e atípico’, diz delegado

Polícia Civil do Rio pretende pedir o arquivamento do caso da morte do MC Kevin, ocorrida no dia 16 de maio, após ele cair de um quarto de hotel na Barra da Tijuca, na Zona Oeste do Rio.

De acordo com o delegado Leandro Gontijo, da 16ª DP, que concluiu as investigações, não houve indícios de brigas, ações violentas ou qualquer tipo de crime no episódio.

Para a polícia, o que aconteceu na noite do dia 16 de maio foi que MC Kevin tentou sair do quarto pulando a janela para acessar o andar inferior e caiu.

“Foi um fato trágico, porém atípico e sem previsão legal para os investigados”, declarou o delegado Gontijo.

Modelo prestou novo depoimento

Na quarta-feira (10), a modelo Bianca Dominguez, que estava no quarto com Kevin quando o fato aconteceu, foi ouvida novamente, mas não acrescentou nenhum fato novo à investigação, nem caiu em contradição.

Ao sair da delegacia, ela falou com a imprensa e declarou: “Não houve mudança de versão, tive minha vida afetada, minha vida exposta, tive que parar minha faculdade, minha família foi exposta. É normal a pessoa ficar com a mente um pouco danificada, mas nunca menti. Eu nunca mudei de versão, falei as mesmas coisas de agosto”, disse ela sobre o uso de substâncias ilícitas no dia da queda de Kevin.

O Caso

No dia 16 de maio, MC Kevin, de 23 anos, caiu do 5º andar de um quarto de hotel na Barra da Tijuca. O funkeiro, que era natural de São Paulo, estava no Rio de Janeiro para uma série de shows. Ele estava acompanhado da mulher, Deolane Bezerra, e alguns amigos.

Após um desentendimento com a mulher, Kevin foi para praia da Barra da Tijuca, onde consumiu bebida, algumas substâncias ilícitas e conheceu Bianca Dominguez, a quem convidou para ir até o seu quarto.

print

PARCEIROS