Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!

RS: Mais de 3 mil motoristas estão com a CNH bloqueada por falta de exame toxicológico

A realização de exames toxicológicos em motoristas profissionais de transporte rodoviário coletivo de passageiros e de cargas – categorias C, D e E – passou a ser exigida para a habilitação, renovação ou mudança para as categorias especificadas desde o dia 2 de março.
Em virtude da lei, cerca de 3.200 CNHs de motoristas gaúchos estão bloqueadas por falta de laboratórios credenciados no Estado. Com isso, o Detran/RS busca na Justiça a liberação da renovação e adição de categoria sem a realização do exame. Três estados já conseguiram liminares, entre eles São Paulo, Mato Grosso do Sul e Goiás.
“Ao estabelecer, em 2 de março, o início da fiscalização e o bloqueio dos processos de habilitação, o Contran imputou a imediata restrição ao direito de dirigir dos condutores nas categorias em apreço, o que está impactando seriamente na vida dos profissionais e trará prejuízos à sociedade, uma vez que o transporte de cargas e passageiros será afetado”, afirma o diretor-geral do Detran/RS, Ildo Mário Szinvelski.
De acordo com o Diretor do Centro de Formação União, Ademir de Oliveira, a Procuradoria-Geral do Estado entrou nesta quarta-feira com o pedido de liberação e a expectativa é que os documentos sejam liberados até que se organize o sistema.
Ele comentou ainda que o exame toxicológico busca reduzir o alto índice de acidente de trânsito, retirando das estradas os motoristas usuários de drogas.
O exame toxicológico deve custar entre R$ 295 e R$ 380. “Nonoai deverá ter pelo menos dois laboratórios credenciados pelo Detran para fazer os exames toxicológicos”, finaliza Ademir.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados *

*

error: Conteúdo Protegido. Entre em Contato.