Musculação é essencial para retardar o envelhecimento

Envelhecer de forma saudável, sem limitações e com disposição para as mais variadas atividades do dia a dia. Pode-se afirmar que este é um dos “sonhos de consumo” das pessoas atualmente, tanto que com a disseminação de informações e a conscientização sobre saúde, a preocupação com a prática de atividades físicas, os cuidados com a pele e alimentação saudável são aspectos cada vez mais valorizados pelas pessoas.

Mesmo assim ainda é preciso ir além quando o assunto é conscientização, pois muitos até cuidam da alimentação, mas não deixam de lado a rotina sedentária. Uma das consequências do envelhecimento é a perda de massa muscular natural que costuma provocar dificuldades aos idosos. Com isso, há redução de força, o que dificulta a realização de tarefas simples do dia a dia como levantar objetos, por exemplo.

A boa notícia, segundo o médico ortopedista e traumatologista Joaquim Reichmann, é que atividades musculares e alimentação adequada auxiliam na manutenção da força e do equilíbrio durante a terceira idade, retardando o processo de envelhecimento. Portanto, a recomendação é a ingestão de proteínas em quantidades suficientes e a prática de exercícios físicos. “Quanto antes adotar essas medidas, melhor. Afinal, são essenciais não somente para manter ou elevar a massa muscular, mas também para a saúde como um todo”, esclarece Reichmann.

O médico explica, ainda, que a diminuição da musculatura na terceira idade também pode estar vinculada à desnutrição, deficiências hormonais, diabetes, hipertensão, entre outras. “Aliado às atividades físicas e alimentação saudável, é fundamental manter uma rotina regular ao médico visando um check-up para saber quais os exercícios adequados, bem como para obter outras medidas de prevenção, além de diagnosticar precocemente possíveis problemas de saúde”, orienta Reichmann.

A recomendação do médico é iniciar a prática de musculação antes de chegar na terceira idade, mas para quem está nesta fase e é sedentário, ainda há tempo para mudar de ideia. “Quem já sente os efeitos da perda muscular deve começar devagar e seguir as orientações de um profissional de saúde durante os treinos. O acompanhamento é importante para que os exercícios sejam feitos conforme a capacidade da pessoa. Manter-se motivado nos treinos e não quebrar a rotina estão entre os pontos importantes para obter os melhores resultados. Outra medida fundamental é continuar a prática de exercícios após obter a massa muscular desejada”, destaca Reichmann, lembrando para quem não pratica atividade física, na terceira idade, é comum a perda muscular de 0,5% a 2% no período de um ano.

Para concluir, Reichmann reforça que além de ser a única atividade capaz de aumentar a massa muscular, a musculação é essencial para melhorar o bem-estar, a qualidade de vida e a saúde como um todo.

 

Fonte: MARCOS A. BEDIN

Jornalista

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados *

*

error: Conteúdo Protegido. Entre em Contato.