Buscas pelos bombeiros desaparecidos seguem no prédio da SSP do RS

As buscas ao 2º sargento Lúcio Ubirajara de Freitas Munhós, 51 anos, e ao 1ºtenente Deroci de Almeida da Costa, 46 anos, seguiram na manhã de terça-feira pelas equipes do Corpo de Bombeiros Militar do Rio Grande do Sul e técnicos envolvidos no trabalho. Um total de 88 pessoas entre bombeiros militares e técnicos estão envolvidos na operação de resgate dos dois desaparecidos.

A família do sargento Munhós chegou hoje ao local para acompanhar as buscas ao bombeiro militar. A movimentação na sede da Secretaria da Segurança Pública (SSP), na rua Voluntários da Pátria, ficou por conta das viaturas da Corpo de Bombeiros Militar, Brigada Militar e Defesa Civil estadual.  A rua Voluntários da Pátria segue bloqueada ao trânsito de veículos no trecho compreendido entre as ruas Santo Antônio e Ramiro Barcelos.

Na manhã de terça-feira, o comando do Corpo de Bombeiros Militar do Rio Grande do Sul (CBMRS) divulgou uma nota oficial em que informa que não está solicitando quaisquer donativos para os servidores que estão atuando nas buscas aos militares na ocorrência no prédio da Secretaria da Segurança Pública. “Nenhuma associação ou entidade está autorizada a arrecadar fundos ou doações de qualquer natureza em nome da corporação”, disse. “O CBMRS trabalha incessantemente nas buscas pelos colegas desaparecidos e, também, na logística da operação, dando todo o suporte aos envolvidos na ocorrência. Todos os serviços de apoio estão sendo realizados para proporcionar as melhores condições de trabalho aos servidores da instituição”.

O sargento Munhós e o tenente Costa estão desaparecidos desde a quarta-feira da semana passada quando estavam atuando no combate ao incêndio ao prédio da Secretaria da Segurança Pública, em Porto Alegre. Na entrada do prédio da SSP, a Brigada Militar reforçou a segurança no local com a colocação de viaturas na entrada do prédio prédio.

Os dois bombeiros militares são procurados por um grupo de resgate dividido em nove equipes, cujo trabalho é dificultado pelas estruturas de concreto espalhadas pelo terreno secretaria da segurança. A remoção de objetos, segundo comando do Corpo de Bombeiros Militar do Rio Grande do Sul, será feita de forma lenta, para evitar movimentações na estrutura do prédio.

O tenente Almeida, nome de guerra de Deroci, atuava como o oficial de serviço. Ele era o responsável por despachar viaturas para o combate ao incêndio em Porto Alegre. O bombeiro militar está na corporação desde dezembro de 1998.

Já o sargento Munhós está na corporação desde 1990 e, atualmente, trabalha na Divisão de Logística e Patrimônio do Corpo de Bombeiros Militar do Rio Grande do Sul, junto ao Comando-Geral da corporação.

print

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Restaurante Recreativo